‘Design para Democracia’ no Programa de Pós-Graduação em Design da UNISINOS

No segundo semestre de 2017, respondendo ao chamado Stand Up for Democracy de Ezio Manzini e Victor Margolin, discutimos a relação entre Democracia e Design ao organizarmos 5 eventos:

19511087_1910252292585946_8695820920449944171_n

O primeiro evento ‘Democracia e Mídias’ refletiu sobre as relações entre design, mídia, sociedade e política enquanto discutiu como ocorrem apropriações simbólicas e visualidades da política.

 

 

seeding-standup_2-insta_cdg

O segundo evento ‘Design e Cidadania no Espaço Urbano’ discutiu como diferentes áreas do conhecimento projetam e criam projetos para promover a cidadania no contexto urbano. Representantes de urbanismo, arquitetura, fotografia e música foram convidados para a discussão.

 

dd3_insta

O terceiro evento ‘Ética, Design e Democracia’ focou na discussão sobre ética nos processos de design que abordam a promoção de cenários sociais mais democráticos. Refletimos sobre os princípios que motivam, influenciam e orientam designers no fomento da dimensão democrática da sociedade.

 

dd4

O quarto evento ‘Design e Democracia: a visão dos serviços acadêmicos na Unisinos’ lançou luzes sobre a prática democrática em nossa instituição e no Programa de Pós-Graduação em Design.

 

 

dd5-instagram

O quinto e último evento ‘Visões sobre Práticas e Processos em Design’ promoveu a reflexão sobre o que os designers têm feito para promover práticas e cenários mais democráticos. Algumas questões cruciais abordadas foram: quais são as características de uma prática de design capaz de promover esses cenários? Quais são as características do processo? Quais são os atores envolvidos? Qual é o foco e o contexto de ação?

O último evento consistiu em uma discussão aberta em que, com base nas atividades anteriores, definimos o nosso entendimento sobre a relação entre a prática de design e a democracia e a organizamos em um pequeno texto a ser inserido no site Stand up for Democracy e compartilhado com nossa comunidade de design.

Esta declaração surge de nossos diferentes pontos de vista e é o ponto de partida para organizar nossos próximos passos na discussão e atuação na perspectiva de uma prática de design capaz de contribuir para a dimensão democrática de nossas sociedades.

Então, aqui está ela:

Quando, enquanto designers e pesquisadores em design, atuamos para contribuir para a dimensão democrática da sociedade, nosso objetivo não é apenas permitir que um número cada vez maior de pessoas tenha acesso ao poder de decisão.

Entendemos que nossas ações devem abordar a distribuição de oportunidades e as diferentes formas de empoderamento. Por um lado, quando dizemos que temos que promover o acesso às oportunidades, queremos dizer que, através da prática de design, temos de praticar e permitir que outras pessoas pratiquem (e se acostumem) a auto-expressão e a tomada de decisões. Por outro lado, quando declaramos que temos que capacitar as pessoas e fazer isso de maneiras diferentes, identificamos no projeto e na pesquisa em design com foco no contexto local a maneira correta de fazê-lo e, além disso, uma maneira de fortalecer o entendimento de potencialidades e possibilidades locais para agir, ser e para criar novas realidades.

Além disso, entendemos que precisamos criar processos de design críticos e reflexivos para a tomada de decisões e para a produção de conhecimento. Isso significa para nós que esses processos devem promover a conscientização das pessoas, bem como convidar e apoiar a exploração das diferentes possibilidades e potencialidades de sua realidade.

Finalmente, esta declaração está aberta e está em andamento. Na verdade, é um Google Doc (https://goo.gl/Wy3xxZ) ao qual todos podem acessar e contribuir. No entanto, se você fizer isso, pedimos por favor, que use a função de revisão, para adicionar seu ponto de vista, para não excluir o ponto de vista de outras pessoas.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *