Egresso do Doutorado em Comunicação Conquista Prêmio em Evento Nacional

Marco Túlio de Sousa teve sua tese contemplada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

GUSTAVO EV

Recentemente, o egresso do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Marco Túlio de Sousa, recebeu o Prêmio Papa Francisco de pesquisas na 53ª edição dos Prêmios de Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A conquista veio na categoria tese com o trabalho Pelos Caminhos de Santiago: Dicotomias em uma experiência de Peregrinação Midiatizada.

[Inscrições para Vestibular de verão Unisinos Crédito: Marco Túlio de Sousa/Arquivo Pessoal

Defendida em 2020, a pesquisa analisa como a apropriação das mídias pelos peregrinos transformou as experiências deles durante a viagem pelo Caminho de Santiago de Compostela. “Contar a peregrinação à família e aos amigos que ficaram em casa não é mais algo que se faz depois de concluir a experiência, mas sim enquanto ela é vivenciada”, comenta Marco. Assim, quem está distante pode acompanhar a jornada do viajante, tendo a possibilidade de contribuir com comentários e reações, tornando um produto midiático coletivo.

Entretanto, segundo Marco, esse ambiente de conexões pode trazer uma série de tensões ao peregrino: “Ele vai para o Caminho para se afastar da sociedade em que vive, mas permanece conectado o tempo todo”, conta. Isso porque ele tanto possui um maior controle da experiência e permite prolongar os laços que estabelece com outros viajantes que conhece pelo percurso, quanto sente que seus passos estão sendo vigiados ao perceber que a experiência está sendo pautada pela mídia. “Diante dessas configurações que emergem enquanto caminha, ele é levado a negociar e definir o que mais se alinha com aquilo que ele considera ser uma peregrinação”, afirma.

[Inscrições para Vestibular de verão Unisinos Crédito: Marco Túlio de Sousa/Arquivo Pessoal

Marco teve a orientação da professora e coordenadora do PPG em Comunicação Ana Paula da Rosa, que destaca as diferentes dificuldades encontradas por ele ao pensar o objeto Caminho de Santiago estando no Brasil. “Ele pesquisou grupos de Facebook, foi fazer peregrinações aqui no Estado e depois teve a oportunidade de ir em doutorado sanduíche para a França. Ficou mais de 30 dias no percurso do Caminho, onde viveu a experiência que relata em sua tese. Tudo isto só tornou o trabalho de reflexão mais denso, mais humano e uma contribuição imensa para a área”, diz.

Apesar de ser a 53ª edição do evento, foi a primeira vez que a categoria de pesquisas foi laureada, recebendo o nome de Papa Francisco. “O prêmio dá pistas de que pensar a interface mídia e religião é pensar a sociedade em que vivemos. Marco faz um lindo trabalho de midiatização da experiência e, como orientadora, me sinto parte de um projeto que é muito maior que a tese e que certamente se desdobrará muito ainda”, conclui Ana Paula.