Solução Ambiental

Metodologia permite análise de recursos de forma simples e mais econômica para empresas de todos os portes.

A sustentabilidade não é apenas mais um modismo. Uma empresa que pretende crescer e conquistar espaço no mercado precisa estar preocupada em, além de lucrar, preservar recursos naturais. Porém, ser sustentável envolve altos custos e muitos empresários consideram inviável para o desenvolvimento do seu negócio. Além disso, os modelos adotados pelo mercado, para medir o desempenho ambiental de uma empresa, não permitem, na sua maioria, que comparações sejam traçadas entre operações de diferentes organizações ou de um mesmo grupo empresarial.

Mas foi pensando em criar uma solução que permitisse não apenas cruzar dados de setores distintos, mas que fizesse isso com custos reduzidos, que o grupo de pesquisa formado pelos professores Miguel Afonso Sellitto, Giancarlo Medeiros Pereira, Miriam Borchardt, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e Sistemas, com a colaboração da professora Luciana Paulo Gomes, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, resolveram criar um modelo qualitativo que realizasse essa análise, o chamado SBP (sigla do sobrenome dos três criadores do projeto).

O Desafio

Tudo começou em 2007, na sala de aula da turma da disciplina de Modelagem para decisão em problemas ambientais, do curso de Gestão Ambiental. A proposta era que os alunos realizassem um trabalho de campo que verificasse o desempenho ambiental de uma organização. Mas como fazer isso usando os modelos existentes de avaliação que exigem equipamentos de medição, envolvem valores elevados, além de demandarem um longo tempo das empresas e do avaliador?

Foi nesse momento, que a ideia começou a tomar forma. Porque não criar uma nova metodologia que permitisse uma análise tão qualificada quanto aquelas usadas pelo mercado, mas que fosse simples de executar e tivesse um custo praticamente zero.

solucao-ambiental-01

A solução encontrada

Depois de algumas discussões foi possível perceber que perguntas qualitativas, que abrangessem a área de atuação de cada empresa, poderiam trazer resultados que mensurassem a atuação ambiental da organização. Foi então que se criou o modelo SBP, onde os avaliadores identificam os construtos latentes e indicadores que explicam o desempenho ambiental da operação, distribuem a importância relativa entre os indicadores (cem pontos percentuais) e realizam a avaliação através de um questionário com os colaboradores da empresa.

Com esse modelo é possível chegar a um índice final e verificar quais os indicadores que mais contribuíram para que o resultado não atingisse 100% (nos casos em que não se alcance esse nível). O saldo informa as condições instantâneas da operação, segundo as circunstâncias capturadas pelo modelo, e serve como série histórica, além de desempenhar a função de retroalimentação na tomada de decisões e na definição, avaliação e melhoria da estratégia ambiental da operação.

O resultado na sua vida

A principal vantagem do SBP, em relação a outros métodos, é sua capacidade de adaptação às mudanças que ocorram na legislação, nos processos, nos materiais, nos produtos e a novos conhecimentos. Esse modelo de avaliação permite que ele seja reformulado, incluindo ou excluindo indicadores e mudando prioridades, sempre que mudarem as circunstâncias da operação.

O outro grande benefício é que as organizações, desde as de pequeno e médio porte, até as de grande porte, poderão fazer uso desse método sem que seja necessário destinar uma grande quantidade de recursos e sem que essa avaliação atrapalhe o andamento normal das operações. Ter um desempenho ambiental compatível com as exigências do mercado, agora é uma realidade possível de se conquistar.