Inteligência Artificial

A computação afetiva tem feito descobertas que prometem tornar as máquinas mais humanas.

Você já imaginou um computador que pudesse detectar os pontos fracos do seu filho em matemática e o ajudasse a resolver o problema? Ou um sistema, que conseguisse avaliar a percepção das pessoas sobre a sua marca e lhe direcionasse a tomar decisões? Você poderia dizer: “a tecnologia tem evoluído a passos gigantes, mas apesar de todos os avanços, os equipamentos tecnológicos ainda são máquinas frias e sem percepção dos sentimentos humanos, incapazes de detectar qualquer emoção”. Essa afirmação poderia estar correta até um tempo atrás. Mas agora, ela já faz parte do passado.

Pesquisas desenvolvidas por um grupo de professores do Programa de Computação Aplicada da Unisinos mostram que esses e outros avanços são possíveis sim. A computação afetiva, como é chamado esse campo, tem feito descobertas que prometem revolucionar e tornar as máquinas mais humanas na interação com os usuários.

O desafio

Matemática foi e continua sendo uma das disciplinas em que os alunos encontram mais dificuldades. Muitas vezes, apenas os ensinamentos recebidos em sala de aula não são suficientes para que determinados estudantes consigam realizar uma equação com sucesso. E esses obstáculos podem se transformar em bloqueios afetivos, dificultando ainda mais o processo de aprendizado. Os programas de computador, destinados a auxiliar as crianças que precisam de uma ajuda extra, não levam em consideração as aptidões do aprendiz, e foi pensando nisso, que a professora Patrícia Jaques e o grupo de bolsistas de iniciação científica, mestrandos e alunos de TCC, coordenados por ela, idealizaram um software que fosse capaz, além de ensinar, detectar as emoções de quem está realizando os exercícios.

Seguindo a mesma linha, o grupo coordenado pelo professor João Francisco Valiati resolveu criar um software que resolvesse um outro problema: o grande volume de opiniões postadas na web e uma maneira de filtrar pareceres importantes levando em consideração a semântica de uma língua. A chegada da Web 2.0 facilitou a interação dos usuários e permitiu que manifestações, contra ou a favor determinado tema, marca ou objeto, fossem divulgadas para um número cada vez maior de pessoas, com uma rapidez impressionante. Por isso, detectar esses “sentimentos” que rolam hoje na internet, e de forma correta, pode ser fundamental para uma corporação.

A solução encontrada

Depois de vários estudos, Patrícia e sua equipe chegaram ao PAT2Math (Personal Affective Tutor to Math ou Sistema de Tutor Afetivo Pessoal para Matemática), um software de aprendizagem que usa técnicas de Inteligência Artificial para fornecer auxílio individual a alunos do Ensino Fundamental, no desenvolvimento de questões matemáticas, mais especificamente no ensino de álgebra elementar. Esse tipo de software educacional é chamado de Sistema Tutor Inteligente. O ambiente, que é capaz de detectar as emoções do aprendiz, está apto a determinar um momento mais apropriado para interceder, assim como decidir qual ação aplicar a fim de manter a motivação do aluno e seu engajamento na atividade. “Se um aluno apresenta determinada dificuldade no momento da execução de um cálculo, o software consegue identificar em qual instante o aluno está errando e oferecer, através de um agente pedagógico animado, que estamos chamando de Pat, questões mais fáceis, que vão auxiliá-lo a resolver o problema, motivando ele a continuar”, explica Patrícia.

Há mais de um ano o time de pesquisadores do professor Valiati, por sua vez, vem desenvolvendo pesquisas e ferramentas computacionais para identificar a polaridade da opinião dos usuários através da mineração de dados. O estudo utiliza mecanismos especiais de filtragem que analisam os comentários e uma modelagem computacional, baseada em Inteligência Artificial, que classifica os pareceres. O programa não leva apenas em consideração uma palavra e o sentido bom ou ruim que ela tem, mas ele é capaz de analisar todo o contexto, conseguindo, desta maneira, fazer uma avaliação mais precisa sobre o que foi postado na web.

O resultado na sua vida

O fato das máquinas estarem se tornando capazes de apurar as emoções dos usuários na hora da realização de uma tarefa, promete revolucionar ainda mais o mercado. Empresas poderão detectar com mais rapidez a percepção do seu cliente sobre um novo produto. Alunos com dificuldades de aprendizado poderão receber incentivos de um agente animado que detecta suas habilidades e promove um estado de espírito mais positivo.

As invenções criadas nos laboratórios da universidade já começam a tomar forma no dia a dia das pessoas. A escola Constructor, de Porto Alegre já mostrou interesse em implantar o PAT2Math como ferramenta de apoio. E essa é apenas uma das muitas pesquisas realizadas na Unisinos.
» Conheça o site do projeto: http://pat2math.unisinos.br/