Geologia Informatizada

A tecnologia como aliada no processo de crescimento ordenado de municípios de pequeno e médio porte.

Um trabalho de extrema importância para o desenvolvimento do país. Ajudar na localização de petróleo e minerais, planejar e avaliar áreas de construção e escavações, analisar impactos ambientais, como deslizamento e desmoronamentos, além de auxiliarem os estudos de locação de poços de águas subterrâneas e recursos hídricos.

A atividade realizada por um geólogo vai muito além da classificação de fósseis e das estruturas que formam a crosta terrestre, como podem pensar algumas pessoas. Mas eles não estão sozinhos nessa jornada, trabalhando lado a lado estão os engenheiros agrimensores e cartógrafos que através de conhecimento técnico, contribuem e muito para os estudos realizados por esses profissionais.

Da união dessas duas profissões surgiu o projeto Maggia (Modelagens ambiental e geológica por meio do uso de geoprocessamento e inteligência artificial), uma linha de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Geologia, coordenada pelos professores Maurício Veronez e Francisco Tognoli, que busca, por meio de técnicas de geoprocessamento e inteligência artificial, aprimorar os trabalhos geológicos.

O Desafio

A inflexão tecnológica não se restringe mais as áreas das engenharias e da computação, hoje ela é importante para o desenvolvimento qualificado de qualquer setor. Através de equipamentos avançados, o trabalho tanto de um professor, um médico, administrador, ou de um geólogo pode ser beneficiado. E esse foi o desafio proposto pelos pesquisadores do projeto Maggia, que há aproximadamente quatro anos, vem buscando unir expertises para colaborar com os estudos geológicos.

Através das técnicas de geoprocessamento e inteligência artificial, o grupo vem desenhando soluções que contribuam para o enriquecimento do trabalho realizado pelos colegas geólogos.

A solução encontrada

O primeiro passo foi dado quando o grupo fechou uma parceria com a prefeitura de um município para realizar um planejamento ambiental através da implantação de uma rede geodésica baseado em pontos, cujas coordenadas foram obtidas com o uso do Sistema de Posicionamento Global, mais conhecido como GPS (Global Positioning System). Por meio dessa técnica foi criado um Sistema de Informação Geográfica, possibilitando gerenciar, de uma maneira eficaz, as Áreas de Preservação Permanente (APP), fundamentais para o planejamento ambiental da cidade. Com o estudo, foi possível perceber que a tecnologia pode ser uma importante aliada no processo de crescimento ordenado de municípios de pequeno e médio porte.

O projeto Maggia também vem utilizando técnicas de inteligência artificial (IA) que colaboram para o aperfeiçoamento dos estudos geológicos. A análise simultânea de diferentes perfis de poços permite estimar o tipo de rocha, reconhecer camadas permeáveis, identificar intervalos portadores de água, óleo e gás natural, determinar a saturação relativa de água e óleo, além do percentual de porosidade da rocha. Dessa forma, o uso das técnicas de IA permite que as variáveis mais significativas para o tipo de resultado pretendido sejam determinadas e, consequentemente, que sejam obtidas estimativas a partir de modelos geologicamente coerentes e previamente treinados.

A utilização do Laser Scanner 3D terrestre na modelagem digital de afloramentos, outra técnica implantada pelo grupo, permitiu que profissionais e estudiosos da geologia conseguissem realizar observações mais precisas sobre uma determinada área.

O resultado na sua vida

O que antes era considerando um trabalho demorado e de alto custo, através dos estudos realizados por pesquisadores, alunos de iniciação científica em nível de Graduação e Ensino Médio, professores, mestrandos e doutorandos, vai trazendo pouco a pouco benefícios perceptíveis à sociedade. Por meio de técnicas de geoprocessamento, por exemplo, o município no qual uma das pesquisas foi desenvolvida, ganhou um banco de dados eficaz, permitindo o monitoramento do crescimento da cidade de maneira harmoniosa com o meio ambiente.

Empresas petrolíferas e de exploração mineral também ganharam um importante auxílio na redução dos custos para desenvolvimento de novas jazidas. E os benefícios não param por aqui, muito mais está sendo criado.