Recentes projeções populacionais indicam que número de pessoas potencialmente ativas (15 a 65 anos) do Rio Grande do Sul vai diminuir a partir do ano de 2020.  Enquanto isso, o número de idosos (65 anos ou mais) vai crescer continuamente. Essa perspectiva alerta governantes e população para uma nova realidade: Em alguns anos não serão necessárias tantas escolas, o serviço de previdência deverá ser mais voltado a idosos e o foco da saúde pública também deverá sofrer mudanças.

“No caso da educação em grandes cidades (onde não há o problema do deslocamento), será que precisamos abrir mais escolas em um cenário futuro em que teremos cada vez menos jovens? Será que o sistema atual de previdência comporta uma população cada vez maior de idosos e cada vez menor de pessoas em idade potencialmente ativa?”, questiona o estatístico da FEE Pedro Zuanazzi. Ele vai abordar o tema Projeções populacionais do Rio Grande do Sul: mudanças no bônus demográfico nesta quinta-feira, dia 26-04, das 17h30min às 19h na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU.

Deixe uma resposta