Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora e com Paulo Sérgio Talarico, artista plástico de Juiz de Fora

Adoração

Difícil chamar-te pelo nome, agora
que és tudo e meu chamado.
Ecoas. Água da sede,
bebo-te em silêncio. E despojo-te da imagem
no transparente ser e estar
sem perceber
que sou e estou
que és e estás
entregues ao não saber
do quando e onde
sempre e agora
e te sou
e me és
estando no infinito estar
sendo no infinito ser
que nos envolve e abarca
silenciosa viagem
adeus.

(Dora Ferreira da Silva. Uma palavra de ver as coisas. São Paulo: Duas Cidades, 1973, p. 95)

Dora Ferreira da Silva (1918 – 2006): Poetisa e tradutora brasileira. Recebeu três vezes o Prêmio Jabuti por suas poesias e também o Prêmio Machado de Assis, da Acadêmia Brasileira de Letras, por sua obra Poesia Reunida. Dedicou-se por mais de 50 anos à poesia, entre suas principais obras estão Andanças, Talhamar, Retratos de Origem, Poemas da Estrangeira e Hídrias.  Foi tradutora do psicólogo suíço Carl Gustav Jung.

Deixe uma resposta