“A partir de um olhar epistemológico, perguntamo-nos: Qual seria o fator mais determinante e que, talvez, seja a causa mais profunda, mais radical na transformação que a situação religiosa da humanidade está sofrendo, essa suposta mudança de paradigma global, ou novo tempo axial? A partir do ponto de vista epistemológico – respondemos – acreditamos que se pode afirmar que esse fator é o crescimento exponencial dos conhecimentos”. A edição 76ª do cadernos Teologia Pública traz o texto de José Maria Vigil “50 anos depois do Concílio Vaticano II: indicações para a semântica religiosa do futuro”.

Segundo o próprio autor, as temáticas apresentadas são “reflexões que provêm do campo da epistemologia. A partir delas, poder-se-ão extrair consequências teológicas, mas, agora, quero concentrar-me nos limites da epistemologia”.

O teólogo espanhol naturalizado nicaraguense, José Maria Vigil, é padre claretiano e formado em Teologia pela Universidad Pontifícia de Salamanca. É doutor em educação pela Universidad La Salle de San José, Costa Rica.

Os cadernos Teologia Pública podem ser adquiridos diretamente no Instituto Humanitas Unisinos – IHU ou solicitados pelo endereço humanitas@unisinos.br. Informações pelo telefone 55 (51) 3590 8247. Clique aqui para download em formato PDF.

Leia mais:

Deixe uma resposta