A revista IHU On-Line desta semana, sobre a água e o saneamento básico, têm inspirado a reflexão sobre o tema. Mas, além disso, o debate provocou também a inspiração poética do professor Benno Dischinger, que traduz boa parte do material que publicamos no Instituto Humanitas Unisinos – IHU. Ao se dedicar à tradução da entrevista com o professor Ricardo Petrella (que será publicada em breve), Benno Dischinger compôs o poema que segue:

Á G U A

Água – berço da vida …
Substância translúcida,
Gelo, líquido, vapor …
És indispensável,
Quente, morna, fria,
Satisfazes a sede,
Transmites calor…

Água: de onde emanas?
O que te compõe?
O que em teu seio se encerra?
O que seria sem ti?
Teríamos vida na Terra?
Se realmente faltares,
Tua posse vai gerar guerra?

Água: fonte tão vital,
Cristalina ou não,
Sempre fundamental!
Quantos de ti são carentes,
Vivem famintos, sujos, sedentos…
Possa o mundo te usufruir,
Pura, limpa, de maneira global!

 Benno Dischinger, 12/03/2010 

Obrigada, professor, por nos brindar com sua sensibilidade e companheirismo.
Um grande abraço da redação da IHU On-Line.

Deixe uma resposta