Nesta quinta-feira, 27 de novembro, no último IHU Ideias do ano, o Prof. Dr. Moysés Pinto Neto iniciou sua palestra fazendo uma breve leitura do cenário político atual: “Vamos viver tempos difíceis no próximo ano; minha impressão é negativa, nutro um sentimento pessimista em relação ao nosso cenário”. O tema do debate foi o Brasil pré e pós eleições: contradições e possibilidades.

Moysés trouxe conceitos de uma visão nacional-desenvolvimentista ou “neodesenvolvimentista”, afirmando que vivemos em um governo que se orienta por uma visão política progressista – a qual ele chamou de nacional desenvolvimentista – em busca do progresso, e quem se opõe a esse projeto é conservador ou de alguma forma está ali possuído por algum afeto.

O palestrante fez também uma análise sobre a questão pré-eleitoral. Iniciou com uma provocação, ressaltando o principal argumento que foi usado pelos que estiveram alinhados com o governo federal (que ele chamou de governistas e aliados), de que a eleição de outro candidato ou outra candidata representaria um retrocesso, e questionou: “Será que nós já não começamos esse retrocesso há mais tempo? Esse retrocesso começaria mesmo em outro governo”?

Sobre Marina Silva, ele comentou que alguns de seus projetos lhe pareciam superiores, porém seu campo ficou traumatizado com a atuação do PT. Supôs que ela não é mais uma alternativa equivocada pós-Lula, mas pode vir a se tornar forte como líder de oposição ao PT. Ainda comentou que Marina entendeu que foi sabotada por uma conspiração no seu partido, fazendo referência ao seu texto: As Contradições estão aí para todos, já publicado no sítio do Instituto Humanitas Unisinos-IHU.

Interrogado sobre a Operação Lava-Jato, Neto respondeu: “A Operação desestabilizará o governo, mas já produziu o que tinha de produzir; vai deixar o governo sangrando até que ele possa reagir”.

Confira alguns comentários sobre a palestra:

Sobre o cenário político atual não me surpreendeu sua reafirmação sobre a posição de gestão do governo à direita, de que visivelmente não há uma esperança á esquerda para o país no governo atual”. Sabrina Teixeira, estudante de Jornalismo e estagiária no Tribunal de Contas do Estado.

 

 

O PSOL não soube entender corretamente e se inserir nesta insatisfação popular que desaguou nas mobilizações de julho de 2013”. Henrique, advogado.

 Sobre o palestrante:

Moysés Pinto Neto é graduado em Ciências Jurídicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, mestre em Ciências Criminais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS e doutor em Filosofia nessa mesma instituição. Leciona no curso de Direito da Universidade Luterana do Brasil – Ulbra Canoas e da Univates.

Nahiene Alves

Deixe uma resposta