No dia 31 de agosto, falecia Dom Leonidas Proaño.

Nascido no dia 29 de janeiro de 1910, no Equador, Leonidas Eduardo Proaño Villalba fundou a Ação Operária Católica (AOC) e a Juventude Operária Católica (JOC) logo depois de ser ordenado sacerdote

Após passar sete anos como canônico da Igreja Catedral de Ibarra, trabalhado dez anos no jornalismo de sua província e realizado estudos dos problemas sociais, no dia 26 de maio de 1954, Proaño foi consagrado bispo da diocese de Bolivar, designação feita pelo papa Pio XII.

Ao chegar a Riobamba, sua sede episcopal, deparou-se com os graves problemas dos camponeses chimborasenses. Proaño, chamado de bispo dos índios, entregou-se ao estudo dos problemas de camponeses e indígenas e à procura de soluções adequadas.

Nessa diocese, trabalhou incansavelmente durante 31 anos, afastando-se por limite de idade. Proaño faleceu no dia 31 de agosto de 1989, aos 78 anos, em Quito, no Equador.

Por esse motivo, publicamos aqui a pequena homenagem enviada pela Fundação Pueblo Índio do Equador, que reuniu alguns fragmentos da conferência apresentada por Dom Proaño no dia 12 de janeiro de 1986 na província de Cotopaxi, Equador, com o tema “Los Indígenas y sus Derechos”:


(por Moisés Sbardelotto)

Deixe uma resposta