.
25 de agosto de 1961.
.
Há 50 anos, Jânio Quadros renunciava e seu vice, João Goulart (foto), era impedido de assumir a Presidência da República.
.
A notícia logo chegou a Porto Alegre. Leonel de Moura Brizola, governador do Estado do Rio Grande do Sul, passou a liderar as manifestações populares em defesa da legalidade da posse de Goulart. Para o professor Jorge Ferreira, “Brizola recusou-se a acatar o golpe de Estado. Ele foi a única liderança civil na história contemporânea brasileira a resistir a um golpe militar, dividir as Forças Armadas e derrotar os golpistas”.
.
Neste dia, há exatamente 50 anos, deu-se início à única mobilização popular da América Latina que evitou um golpe militar. A Campanha da Legalidade garantiu que Jango assumisse a Presidência após a renúncia de Jânio Quadros, mesmo com a oposição dos militares.
.
O Instituto Humanitas Unisinos – IHU, juntamente com o curso de Graduação de História da Unisinos, está realizando o Seminário “50 anos da Campanha da Legalidade: memória da democracia brasileira (1961-2011)”. Ainda dá tempo de participar da programação. Saiba mais aqui.
.
O IHU, nestes anos, já publicou diversas entrevistas e publicações a respeito da Campanha da Legalidade. Confira as entrevistas produzidas por nossa equipe de Jornalismo:
.

Além das entrevistas, também foi produzida uma Revista IHU On-Line sobre Leonel Brizola.

Para ler mais:

Uma resposta

Deixe uma resposta