Foto: Evandro Teixeira

50 anos após o golpe civil-militar, uma das questões mais pertinentes ainda confunde a população: afinal, quais foram as consequências econômicas deixadas pela Ditadura Militar? Para responder esta pergunta, o Dr. Pedro Cezar Dutra Fonseca, professor titular do Departamento de Ciências Econômicas e Relações Internacionais da UFRGS, e irá apresentar, nesta terça-feira (18), um debate com o tema “Política econômica brasileira e o golpe civil-militar de 1964: contexto e impactos”. O evento faz parte das palestras do Ciclo de Estudos “50 anos do Golpe de 64. Impactos, (des)caminhos, processos”.

O evento acontece na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros a partir das 19h30min até às 22h.

Modernização conservadora

Em entrevista concedida à IHU On-Line, o pesquisador abordou o Plano Trienal, elaborado em 1962 pela equipe de Celso Furtado, na época Ministro do Planejamento, que tinha a finalidade de retomar o crescimento do país e promover a distribuição, e que, embora ignoradas inicialmente pelos militares, viriam a serem utilizadas mais tarde pelo governo ditatorial.

Ao assumirem que certas mudanças propostas por Jango eram importantes ao país, os militares decidiram realiza-las sem mexer na questão da propriedade. Assim, optaram por apresentar uma proposta a modernização no campo via crédito, substituindo a reforma agrária. Além de uma reforma tributária, que apesar de modernizar a arrecadação do estado, não contemplava a questão distributiva.

Esta prática é o que o professor chama de “modernização conservadora”: “ao mesmo tempo que moderniza mantém também as estruturas vigentes”, explica.

Sobre o ciclo de estudos

O evento “50 anos do Golpe de 64. Impactos, (des)caminhos, processos” é promovido pelo Instituto Humanitas Unisinos – IHU juntamente com diversos PPGs e Cursos de Graduação da Unisinos e tem como objetivo debater transdisciplinarmnte o golpe cívico-militar de 64 com seus antecedentes, significados e repercussões na sociedade brasileira contemporânea. Ao longo das atividades, os participantes poderão compreender melhor o contexto social, político, econômico e cultural brasileiro, latino americano e mundial do Golpe de 64, além de saber quais foram os principais impactos econômicos, políticos, sociais e culturais 50 anos depois.

Você pode acompanhar o calendário com as atividades do evento “50 anos do Golpe de 64. Impactos, (des)caminhos, processosaqui.

Deixe uma resposta