Os eleitores brasileiros fizeram reclamações de todos os tipos antes das eleições, mas na hora de escolherem seus votos, não levaram em consideração as verdadeiras necessidades de suas cidades e as propostas dos candidatos. Alguns eleitores escolheram pelo partido, outros pelo nome do candidato, outros pela amizade, alguns ainda escolheram apenas para não votarem em branco e há os que escolheram seus candidatos pelas propostas fantasiosas que estavam expostas durante as campanhas eleitorais.
.
O fato é que muitos candidatos não escolhem mais propostas que possuem garantia de realização, mas divulgam promessas no intuito de criar uma cidade imaginária, cujo eleitor vai ficar admirado e, de certa forma, comprar a ideia. Isso faz com que os eleitores esqueçam todos os outros motivos pelos quais deveriam participar dessa democracia e apenas compareçam em suas sessões para apertar as teclas de preferência.
.
Para fazer uma “Análise das eleições na região metropolitana: entre a fantasia e a realidade”, o IHU Ideias desta semana receberá o Prof. Dr. Nadir Lara Junior. “Vou trabalhar mais com a análise da campanha eleitoral de Porto Alegre, mas falarei de modo geral, pois os candidatos não lidam mais com cidades reais e, sim, criam cidades imaginárias como se cada um fosse o “prefeito avatar” da sua cidade”, explica.
.
“Os candidatos procuram vender as propostas que os eleitores vão querer consumir. O voto virou um produto”, declara o professor que estará presente hoje, 18-10-2012, às 17h30min, na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU. O evento é gratuito e estão convidados professores, acadêmicos, colaboradores da Unisinos e comunidade em geral.
.
Para conferir mais informações, acesse o sítio do IHU.
.
Por Luana Taís Nyland

Deixe uma resposta