Nesta semana culmina a 4ª edição do Espaço de Espiritualidade: “Abrir os olhos”.
A comunidade virtual foi formada por 28 pessoas de diferentes lugares do Brasil, a maioria universitária.
A continuação partilhamos algumas das avaliações dos/as participantes assim como uma poesia que uma delas escreveu num dos fóruns.

“Este Espaço de Espiritualidade foi muito importante para o meu crescimento espiritual, me ajudou a refletir mais sobre a importância de Deus em nós, da natureza que nos cerca, da nossa família e de todos que nos rodeiam e nos amam”. T.

“Uma jornada, um curso de espiritualidade, mesmo que virtual, não pode chegar a um fim. É começo… Sinto-me como aqueles companheiros de Jesus que subiram com Ele ao monte e vislumbraram sua transfiguração e encantados disseram: ‘ Deixe que façamos aqui uma tenda para nós (…)’ É preciso descer o monte, iluminados pela experiência do caminho até então, e as marcas foram muitas… O desafio maior é de jamais deixar de priorizar espaços para o cultivo de uma espiritualidade criativa e desafiante. É preciso que este curso não cesse de “abrir os olhos” de mais pessoas para a emergente necessidade – vontade do espiritual, fica aqui meu agradecimento e endereço/porta sempre aberta para continuar conectada as inspirações propostas” E.

“A través deste espaço consegui rever meus valores e repensar o que realmente significa ser feliz, o que é viver a vida plenamente”. C

Transfigurado
Teu rosto desfigurado é refletido, hoje, em tantos rostos;
que não têm cor, por causa da fome;
que não tem juventude, por causa do trabalho forçado;
que não tem confiança, por falta de fé;
que não tem liberdade, porque estão escravizados:
pelo álcool, droga, prostituição, solidão, individualismo, egoísmo…
Teu corpo flagelao e descarnado é refletido:
nos corpos das crianças que sofrem abuso sexual;
nos corpos das mulheres espancadas e violentadas;
nos corpos de tantas mulheres que o vendem para levar o pão para casa;
nos corpos da juventude, expostos pelo prazer;
nos corpos surrados dos catadores de papel;
nos corpos esmagados nas guerras enlouquecidas;
Teu sangue escorre pelas faces:
daqueles que suam nos campos secos;
daqueles que vivem nas ruas por falta de abrigo;
daqueles que te seguem lutando por uma vida justa;
daqueles que estão morrendo nas enfermidades e falta de acesso à saúde;
Tuas mãos e pés são cravados:
por aqueles que insistem em negar-te;
por aqueles que visam seu próprio bem-estar anulando o outro;
por aqueles que fazem a guerra;
por aqueles que escravizam;
por aqueles que dizem “não” a tudo e a todos;
Mas seu Coração transpassado está aberto:
para o perdão de todos…
pelo Amor a todos…
pela Esperança da RESSURREIÇÃO…
M.C

Desde o dia 14 de outubro está se realizando o segundo nível do Espaço de Espiritualidade: “Encontro com a Palavra”, ainda está aberta a comunidade para acolher novos/as integrantes.  Visite nosso itinerário.

Deixe uma resposta