“A habitabilidade da Terra não é mais garantida automaticamente, mas se transformou num desafio para a humanidade. Será que ainda é possível salvar o ecossistema Terra e encontrar outros modos de ser e agir econômica e socialmente?”, questiona o Prof. Ms. Gilberto Antonio Faggion, que está coordenando o Ciclo de Estudos em Ead: Sociedade Sustentável. Questionamentos como este compõem o debate do curso, que iniciou no mês de março.

Os módulos “O estado atual da crise civilizacional: onde estamos?” e “A questão energética no mundo contemporâneo” já foram debatidos.  O terceiro módulo intitulado “Por um novo paradigma civilizacional“, inicia hoje (02) e se estende até o dia 11 de junho.

Gilberto Faggion é graduado em Comércio Exterior e Administração de Empresas, pela Unisinos, e mestre em Administração, pela UFRGS. Atualmente, é professor da Unisinos e trabalha no Instituto Humanitas Unisinos – IHU.

O Ciclo de Estudos tem como objetivo refletir sobre questões de emergência de uma sociedade sustentável, evidenciando a necessidade de um novo paradigma social. “Os debates buscam fomentar ideiais que possibilitem pensar soluções para os problemas enfrentados pelo Planeta, devido às ações dos empreendimentos humanos, questionando a ideia de desenvolvimento”, afirma Faggion.

Para o professor, constata-se que “a economia moderna fundamenta-se nos princípios do egoísmo e da escassez, os quais põem todo o papel na ação egoísta do homem, como preconizou Bernard de Mandeville, e do instinto animal, como indicou Albert Hirschman. Percebe-se que a racionalidade baseada na escassez precisa ser mudada, pois somente pela lógica do lucro não se resolve problemas atuais, como os ecológicos, o que acaba por se expressar na insustentabilidade do planeta diante das ações humanas”, finaliza.

Para ler mais:

Deixe uma resposta