Arquivos da categoria ‘Sem categoria’

Na próxima quinta-feira, dia 7 de maio, serão debatidos, no IHU, temas de grande atualidade tais como Metrópoles, Multidão, Políticas Públicas, Políticas do Comum.

Estará conosco para debater estes temas Alexandre Mendes que proferirá duas conferências:

1.- Metrópole e comum: crises e novas plataformas de mobilização que será ministrada pelo Prof. Dr. Alexandre Mendes, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, no dia 07 de maio, às 17h30min, na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU.

2.- Nesse mesmo dia, às 19h45min, Mendes também estará participando do Ciclo de Estudos Metrópoles, Políticas Públicas e Tecnologias de Governo, com a  conferência: Metrópoles e Multidão: das políticas públicas as políticas do comum.

Alexandre Mendes:

Foto: arquivo pessoal

Doutor em direito pela Universidade do Estado do Rio de JaneiroUERJ e mestre pela Universidade Cândido MendesUCAM, participa de várias atividades relacionadas aos movimentos sociais urbanos, principalmente sobre a proteção e promoção do direito à moradia e à cidade. Mendes também é associado do Laboratório Território e ComunicaçãoLABTEC / UFRJ.

 

 

Para ler mais:

Protestos ocorridos no Brasil em 2013 e o movimento Occupy Wall Street em 2011, foram temas de uma pesquisa feita pela professora Carla Mendonça, que esteve presente no IHU Ideias do dia 23-04-2015 abrindo um debate sobre jovens, novas mídias e o compartilhamento de protocolos de comunicação na sociedade em rede.

Foto: Nahiene Alves

Com base na teoria weberiana, o objetivo da pesquisa de Carla foi entender o engajamento político dos jovens nos movimentos mencionados. “O engajamento dos jovens é uma questão histórica. (…) A ação é o uso de qualquer tecnologia, com o propósito de ampliar o engajamento cívico, a participação pública e os elos da ação, que como diria Weber, são as atitudes dessa ação, que possibilitam a troca de informação significativa, promovem a conectividade social e constroem perspectivas críticas”, comenta.

A professora focou sua análise nos Estados Unidos e no Brasil, considerando o contexto em que os jovens viviam. E como fonte escolheu empregar apenas a plataforma Tumblr, segundo ela, por permitir interação dos leitores. “Porque os blogs funcionam em rede; com as hashtags fica mais fácil de achar o que procuramos”.

Fonte: www.em.com.br

Carla conclui dizendo que somos uma humanidade buscando uma vida melhor para todos. Na comparação final de sua pesquisa, ela relatou que os sentimentos e os objetivos tanto de brasileiros quanto dos americanos são praticamente iguais, uma das únicas diferenças notadas foi o medo que os americanos demonstram em relação à violência policial, o que não transparece no Brasil.

Ela ressaltou ainda que o sentimento de orgulho dentro dos movimentos é o mesmo. Ambos criticam o sistema social como um todo, o capitalismo, a corrupção, e afirmam a necessidade de mudança e de fortalecimento da ação cidadã.

Por Nahiene Alves

Para ler mais:

Quais são os maiores desafios e avanços encontrados para a governança da água nas metrópoles brasileiras? Vanessa Empinotti  responderá a essa e a outras perguntas no dia 29 de abril, às 19h45min na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU, em palestra que fará parte do Ciclo de Estudos – Metrópoles, Políticas Públicas e Tecnologias de Governo.

Engenheira Agrônoma com mestrado em Ciência dos Solos e doutorado em Ciência Ambiental, Vanessa articulará uma conferência sobre Pegada Hídrica, transparência e governança da água nas metrópoles brasileiras, pontuando desafios e avanços.

A professora considera o cálculo da Pegada Hídrica uma ferramenta fundamental para a governança da água, de gestão “que nos mostra como se está utilizando a água e que funciona como indicativos de quais ações devem ser tomadas para aumentar a eficiência de uso dos recursos hídricos”, como comenta em entrevista concedida ao Instituto Humanitas Unisinos – IHU.

Sobre a palestrante:

Atua nas áreas de recursos hídricos, políticas públicas, gênero e relações entre movimentos sociais e setor privado. Nos últimos 17 anos tem trabalhado com manejo de recursos naturais como pesquisadora e consultora, com experiência nacional e internacional. É pós-doutora do PROCAM-USP, onde atualmente trabalha na área de governança da água, pegada hídrica e setor produtivo.

Assista à conferência ao vivo.

Por Nahiene Alves

Para ler mais…

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Através de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora.

O Filho Pródigo – Murilo Mendes

 À beira do antiuniverso debruçado
Observo, ó Pai, a tua arquitetura.
Este corpo não admite o peso da cabeça…
Tudo se expande num sentido amargo.

Lembro-me ainda quando me evocaste
Do teu caos para o dia da promessa.
O fogo irrompia das mulheres
E se floria o sol de girassóis.

Uma única vez eu te entrevi,
Entre humano e divino ainda indeciso,
Atraindo-me ao teu íngreme coração.

Para outros armaste o teu festim:
E da tua música só vem agora
O soluço da terra, dissonante.

Fonte: Murilo MendesAntologia poética. São Paulo: Cosa Naify, 2014, p. 130

Jovens, novas mídias e o compartilhamento de protocolos de comunicação na sociedade em rede será o próximo tema de debate na atividade IHU Ideias.

A professora e gerente de Relações Internacionais na Universidade do Vale do Rio dos Sinos,  Carla Mendonça,  comparecerá na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU, dia 23 de abril, às 17h30min, para palestrar sobre o assunto.

No evento debater-se-á o papel dos jovens nos movimentos sociais em rede e a ligação de comunicação em massa que ocorre nos dias de hoje, levantando um debate cultural ligado ao contexto de globalização e da “sociedade da informação” e as repercussões na vida do ser humano enquanto sujeito.

Carla também pesquisou os protestos no Brasil em 2013 e o movimento Occupy Wall Street em 2011, ações sociais que apenas foram encaminhadas graças às mídias e ao compartilhamento de informação na sociedade em rede, ao midiativismo que irrompe a visão de manifestos que tínhamos tempos atrás.

Mais sobre a autora…

Doutora em Ciências Sociais, Especialista em Estudos Comparados sobre as Américas pelo Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas (Ceppac) do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Brasília (UnB).

Para ler mais:

Por Nahiene Alves