Arquivos da categoria ‘Publicações’

2013 será um ano intenso de atividades e publicações para o Instituto Humanitas Unisinos – IHU. Uma das novidades será o lançamento do “Guia das Migrações Transnacionais e Diversidade Cultural – Imigrantes no Brasil”, uma publicação que nasce de uma iniciativa conjunta de pesquisadores brasileiros das universidades Unisinos, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Católica de Brasília e Universidade Autônoma de Barcelona.

Segundo Denise Cogo, uma das autoras do Guia e professora coordenadora do grupo de pesquisa Mídia Cultura e Cidadania  do PPG em Ciências da Comunicação da Unisinos, o Guia aponta “as relações entre meios de comunicação, diversidade cultural e migrações transnacionais, com a preocupação de fazer com que os resultados dessas pesquisas tenham repercussão na realidade concreta das migrações” e tem como objetivo principal “orientar jornalistas e comunicadores na cobertura de temáticas relacionadas das migrações transnacionais no Brasil”.

A professora Denise destaca a importância do Guia que pretende “situar o papel preponderante que desempenham as mídias (internet, rádio, televisão, jornais, etc.) na construção, visibilidade e debate público da diversidade cultural presente em nossa sociedade, como é o caso das migrações”. Além do mais, o livro viabiliza “ampliar a participação das mídias nas lutas por cidadania dos migrantes no âmbito das políticas migratórias relacionadas aos direitos humanos dos migrantes”.

O Guia é a primeira publicação de uma coleção intitulada “Guias de Diversidade Cultural para Comunicadores”. Os próximos dois guias serão lançados em 2013 e 2014 com as seguintes temáticas: “Diversidade cultural para comunicadores: Copa do Mundo 2014 e Olímpiadas 2016”, com o objetivo de colaborar para compreensão da diversidade cultural brasileira e evitar a reprodução de estereótipos e reducionismos e “Migrações Transnacionais e Diversidade Cultural para comunicadores/as: Migrantes brasileiros/as no mundo”, com o intuito de contribuir para um tratamento informativo contextualizado e não reducionista das realidades dos/as migrantes brasileiros/as pelo mundo.

Por Natália Scholz

O debate sobre os direitos humanos na segunda metade do século XX estabeleceu-se inicialmente circunstanciado por dois contextos pós-bélicos: da Segunda Guerra Mundial e da Guerra Fria. Sobretudo após 1990, globalização e suas multifaces, novas concepções e compreensões da realidade, da economia, da política e das relações humanas são reelaboradas. O artigo “Limites e desafios para os direitos humanos no Brasil: Entre o reconhecimento e a concretização“, de Afonso Maria das Chagas (foto abaixo), a partir dos limites do “mero reconhecimento” ou positivação dos direitos humanos, pretende investigar os desafios que se colocam, na realidade brasileira, para a concretização destes direitos.
.
“Não basta ter um discurso sobre direitos humanos, é preciso ter fortes razões para convencer a sociedade de que todas as pessoas devem ter direitos, inclusive quando erram”, explica Chagas. E esclarece: “Não resolve-se os erros colocando pessoas em cadeias, mas resolve-se com educação, cultura, respeito e oportunidades”.
.
Chagas apresentará sua dissertação de mestrado na quinta-feira, 13-12-12, sobre “A emergência dos Direitos Territoriais frente ao Direito de Propriedade Fundiária: do colonialismo jurídico à pluralidade de Direitos“, às 14 horas.
.
O estudo tem o objetivo de analisar a causa pela qual, ao passarem 25 anos da Constituição de 1988, ainda não foram efetivados os direitos à terra e ao território dos povos indígenas e das comunidades remanescentes de quilombos no Brasil.
.
Em sua pesquisa, ele conclui que há no Brasil, atualmente, uma tentativa, por parte do Estado brasileiro, de minimizar as garantias que a Constituição de 1988 consagrou. “Vale mais o direito da grande propriedade do que o direito ao território dos povos tradicionais”, declara.
.
Sobre sua experiência ao dissertar o estudo,  Chagas revela: “O interesse pelo tema da dissertação surgiu ao trabalhar e me identificar com as causas territoriais dos povos indígenas e quilombolas da Amazônia”.
.
Confira a 180ª edição dos Cadernos IHU Ideias com o texto de Afonso Maria das Chagas, mestrando em Direito pela Unisinos, que estará disponível a partir de 4 de janeiro de 2013 para download em formato PDF.
.
Por Luana Taís Nyland 

“A Internet está mudando o nosso modo de pensar?”. Com esta pergunta que Antonio Spadaro inicia seu texto O Mistério da Igreja na era das mídias digitais, publicado na 73ª edição do Cadernos Teologia Pública, em uma análise de como as novas tecnologias da comunicação estão mudando o modo de viver e pensar a fé.

“As recentes tecnologias digitais não são mais somente tools, isto é, instrumentos completamente externos ao nosso corpo e à nossa mente. A Rede não é um instrumento, mas um ambiente no qual vivemos. Talvez até mais, sendo um verdadeiro tecido interligado da nossa experiência da realidade”, afirma Spadaro que ainda complementa: “As redes sociais não expressam um conjunto de indivíduos, mas um conjunto de relações entre os indivíduos. O conceito-chave não é mais a ‘presença’ na Rede, mas a conexão: estando presente, mas não conectado, se está ‘só’. O indivíduo entra na Rede para experimentar ou ampliar de algum modo a proximidade/vizinhança. Deve-se, portanto, entender como o conceito de ‘próximo’ evolui a partir da Rede”.

Antonio Spadaro é teólogo jesuíta, diretor da Revista Civiltà Cattolica e esteve presente, recentemente, no XIII Simpósio Internacional IHU: Igreja, Cultura e Sociedade e na 1ª Jornada de Mídias e Religiões: “A comunicação e a fé em sociedades em midiatização”. Também criou o blog Cyberteologia (prêmio WeCa 2012), no qual procura responder aos desafios implicados à cultura da rede, a partir da ótica da fé cristã.

Os Cadernos IHU Ideias podem ser adquiridos na Livraria Cultural, no campus da Unisinos ou pelo endereço livrariaculturalsle@terra.com.br. Informações pelo fone 55 (51) 3590 4888.

A versão completa desta edição estará disponível a partir de 21 de dezembro de 2012 para download em formato PDF.

Por Mariana Staudt

“Tanto a crise das racionalidades como a crise da fé são, na realidade, crises de confiança em si mesmo. A razão enlouquece quando se dá ambições ilusórias (prometeísmo ou cientificismo); a fé trai sua mensagem quando esquece que ela é serviço, e não dominação. Ambas se abrem a seus deveres e a suas vocações quando reconhecem seus ‘limites’, para usar uma linguagem kantiana. Não sua impotência, mas sua complementaridade.”

A 72ª edição do Cadernos Teologia Pública traz o texto “Crise da racionalidade, crise da religião”, de Paul Valadier. O teólogo apresenta a discussão e afirma que a filosofia moderna costuma fazer da razão a fonte e a causa da crise na religião cristã. “Nesse sentido, a atitude frequente consiste em pensar a crise da religião como conseqüência e resultado do aumento da potência da razão, definida tanto como desenvolvimento das racionalidades científicas quanto como razão pura (especulativa) e prática (moral) – para empregar a distinção de Kant”, destacando a aproximação entre racionalidade e fé.

Paul Valadier, é teólogo jesuíta e professor emérito do Centre Sèvres – Paris.

Os Cadernos IHU Ideias podem ser adquiridos na Livraria Cultural, no campus da Unisinos ou pelo endereço livrariaculturalsle@terra.com.br. Informações pelo fone 55 (51) 3590 4888. A versão completa desta edição estará disponível neste sítio a partir de 14 de dezembro de 2012 para download em formato PDF.

<br/><a href="http://oi45.tinypic.com/2hpkew7.jpg" target="_blank">View Raw Image</a>No ano de 2009 completaram-se os 200 anos do nascimento de Charles Robert Darwin, naturalista, autor do livro A Origem das Espécies (1859) e criador da teoria evolucionista, onde afirmava que a evolução de todos os serem humanos tinha sido iniciada a partir de um ancestral comum e que apenas os mais adaptados ao meio onde viviam conseguiram sobreviver.

Em função desta data comemorativa ocorreu em julho do mesmo ano o IX Simpósio Internacional IHU: Ecos de Darwin, que trouxe conferencistas de alto nível, tais como: o historiados Pietro Corsi, o cientista William Stoeger, a filósofa e especialista em Darwin, Anna Carolina Krebs Pereira e muitos outros estudiosos que concederam entrevistas à IHU On-Line.

O Instituto Humanitas Unisinos e o PPG de Filosofia da universidade tiveram a iniciativa de reunir os textos dos conferencistas em um livro, que também foi disponibilizado no formato digital de e-book. Segundo os responsáveis Adriano Naves de Brito e Anna Carolina K. P. Regner, “O livro contém as mais destacadas contribuições apresentadas no colóquio internacional então realizado e levará o leitor desde a exegese do texto darwiniano, até às discussões epistêmica e ética que sua visão desencadeou, passando pela análise da recepção da obra, inclusive na América Latina, e pelo debate entre fé e ciência”.

O eBook estará a venda em Acaiaca Distribuidora de livros

distribuidora@acaiaca.com.br
(11) 2102 9800 / (31) 2102 9800

e na Livraria Cultura

www.livrariacultura.com.br

Por Wagner Altes