Arquivos da categoria ‘ObservaSinos’

Na última quarta-feira, dia 20 de junho, muitos profissionais e estudantes da área da educação se reuniram no Instituto Humanitas Unisinos – IHU para dar seguimento às discussões sobre os indicadores educacionais.
.
No início da tarde, Ricardo Ferreira Vitelli e Tatiane de Fátima Kovalski Martins, mestrandos pelo PPG de Educação da Unisinos, apresentaram um estudo que relaciona as taxas de repetência e abandono nas escolas da rede municipal de São Leopoldo com a distorção idade-série dos alunos.
.
Os indicadores revelaram que os alunos que não apresentam uma distorção idade-série têm uma chance de aprovação aumentada em 148% no primeiro ano do Ensino Médio, 133,7% no 2º e 45,6% no 3º. Estes dados também apontaram que 84,42% dos alunos que abandonaram o Ensino Médio estavam em distorção idade-série.
.
Em seguida as professoras da rede pública de São Leopoldo Miria Maria de Souza Roos, Tânia Regina Pinto Ferreira e Wanda Helena Mondadori Duarte apresentaram uma reflexão sobre o uso de indicadores educacionais na prática profissional. Como resultado das ações tomadas na escola, a partir do estudo de seus indicadores, em 2010 foi constituída uma turma de 6ª série com alunos em distorção idade-série e o aproveitamento foi de 76%.
.
Jesus R. Borges, doutorando pelo PPG de Educação da Unisinos, trouxe ao debate os indicadores de infraestrutura das escolas que são conhecidos a partir do Levantamento da Situação Escolar (LSE). Esse levantamento tem como objetivo montar uma base de dados que evidencie as carências da rede pública de ensino. Essas deficiências devem ser atendidas para que se atinjam os Padrões Mínimos de Funcionamento da Escola – PMFE.
.
Infelizmente, apenas a rede municipal possui subsídios para realizar esse levantamento. Nenhuma escola da rede estadual pôde iniciar o processo.
.
Confira abaixo um vídeo com os depoimentos de alguns dos participantes do evento.
.
[youtube]Exg_dkYlYKg[/youtube]
.
Por Ricardo Traub Fries

A abordagem da educação a partir de sistemas de ensino encaminha para uma visão de redes de estabelecimentos e conjuntos de escolas as quais estão submetidas a políticas públicas e cada vez mais esquadrinhadas, conceituadas, medidas, por indicadores, em geral expressos quantitativamente.
.
Com o intuito de compreender realidades escolares, os Mestrandos Ricardo Vitelli e Tatiane de Fátima K. Martins – Unisinos irão debater o tema “Repetência, Defasagem idade série e abandono: compreendendo realidades escolares” no módulo II da Oficina de indicadores educacionais.
.
Nessa tarde também serão debatidos os “Indicadores de infra-estrutura das escolas: Levantamento Situação Escolar” e as professoras de educação básica de São Leopoldo irão palestrar sobre o uso de indicadores educacionais em sua prática profissional. As professoras convidadas para dar depoimento são Míria Maria de Souza Roos, Wanda Helena Mandadori Duarte, Tânia Regina Pinto Ferreira – Unisinos.
.
Após as apresentações, serão debatidos os temas com os participantes do evento.  A Oficina é gratuita e alunos de graduação e de pós-graduação, professores, técnicos educacionais, membros de conselhos escolares e conselhos municipais de educação, assessores e técnicos de secretarias de educação, supervisores, diretores de escolas, pais, e demais interessados em assuntos educacionais estão convidados para o debate.

O primeiro dos dois módulos da Oficina de indicadores educacionais conseguiu reunir um grande público na Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU, no dia 06 de Junho.
.
A Equipe de Comunicação do IHU gravou depoimentos dos participantes do evento, sobre a importância da realização de uma Oficina de indicadores educacionais. Confira.
.
[youtube]CiRS0ioCb10[/youtube]
.
A Dra. Flávia Werl deu sua contribuição iniciando o evento com um debate sobre os conceitos e metas envolvidos no uso de indicadores.
.
Para Ilustrar esse uso, Alenis Andrade e Cleonice Silveira, Doutorandas em Educação, apresentaram uma análise realizada em equipe com Ricardo Vitelli, Mestrando em Educação. Nela foram avaliados os Indicadores de Qualidade da Educação das Séries Iniciais e Finais do Ensino Fundamental das escolas pertencentes à rede municipal de São Leopoldo. Os indicadores analisados eram referentes aos anos de 2005, 2007 e 2009.
.
Após a breve discussão com os participantes sobre esta análise, tivemos o depoimento das professoras de educação básica de Esteio, Marilan de Carvalho Moreira, Lisandra Schneider Scheffer e Elisane Cristina Kolz Rieth referente às Ações desenvolvidas para apropriação e trabalho qualificador com os indicadores educacionais.
.
Durante essa discussão foram apresentados diversos projetos qualificadores como a exemplo do Programa de Estímulo à Leitura e o Programa Mais Educação e um relato sobre a realidade de uma Escola na qual a professora Lisandra trabalha como supervisora. Ela é uma das responsáveis por manter um trabalho de acompanhamento do rendimento dos alunos através de uma avaliação de cada um dos mesmos, realizada durante uma etapa de pré-conselho escolar e outra de pós-conselho.
.
A Oficina de Indicadores Educacionais realizada no IHU em conjunto com o ObservaSinos e demais observatórios da região terá seu segundo módulo no dia 20/06/2012 abrindo o debate com o tema “Repetência, Defasagem idade série e abandono: compreendendo realidades escolares“.

Por Ricardo Traub Fries


.
A abordagem da educação a partir de sistemas de ensino encaminha para uma visão de redes de estabelecimentos e conjuntos de escolas as quais estão submetidas a políticas públicas e cada vez mais esquadrinhadas, conceituadas, medidas, por indicadores, em geral expressos quantitativamente.
.
Oportunizar o acesso e manuseio de indicadores da educação como instrumento para melhor compreender, qualificar e transformar a realidade educacional dos municípios do Vale do Rio dos Sinos. Debater e analisar dados acessados no confronto com a realidade institucional e profissional dos participantes, vivida nos estabelecimentos educacionais da região.
.
Ocorreu ontem o módulo 1 da Oficina de indicadores educacionais e o segundo módulo ocorrerá no dia 20 de junho. Para acessar mais informações sobre o evento, entre no sítio do IHU.

No complexo de esporte e lazer da UNISINOS aconteceu a 2º Edição do Seminário Futebol e Desenvolvimento Social promovido pelo PEI – Programa Esporte Integral. O evento realizado nos dias 17 e 18 de maio teve na manhã de sexta-feira uma mesa de discussão sobre a relação dos projetos sociais com a escola e as políticas públicas. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Sinos – ObservaSinos foi convidado para apresentar alguns dados da realidade de São Leopoldo, que é o município de atuação do PEI. Em um primeiro momento, a profª Marilene Maia, juntamente com Luca Mendes, e Ricardo Traub Fries apresentou o agradecimento pelo convite e valorizou o tema de aprofundamento. Apresentou algumas referências conceituais sobre a realidade, que se coloca como ponto de partida e de chegada, tanto dos projetos sociais quanto das políticas públicas. Apresentou os indicadores socioeconômicos como ferramentas para o conhecimento da realidade e justificou com essas referências a criação do ObservaSinos.
.
A partir desta introdução, foram apresentados alguns dos indicadores da realidade de São Leopoldo, reunidos especialmente a partir do Censo 2010 e do IBGE. Além disso, foram levantadas algumas questões para o debate sobre a realidade, ou seja, existem crianças e adolescentes em São Leopoldo que são chefe de família. Estamos atentos a esta realidade? O que educadores, projetos sociais, escolas, famílias, crianças e adolescentes dizem sobre os indicadores de repetência e evasão escolar? E a realidade de saúde o que tem a ver com educação?

.

Em seguida, a psicóloga do PEI, Pricilla Braga apresentou o Conselho Deliberativo Participativo, que se trata de um espaço de participação democrática dos diversos segmentos envolvidos sociais (famílias, educando, funcionários da AABB, educadores, gerentes de agência, escolas e parceiros locais) e de deliberação sobre ações que garantam a efetivação dos princípios e diretrizes do Programa.
.
Esse conselho foi criado para auxiliar no desenvolvimento da relação comunidade X escola, servindo como um articulador e mediador de seus conflitos institucional e em alguns casos, intervindo quando necessário.
.
Como se pode imaginar, muitos problemas e desafios que surgiram ao longo das atividades do conselho como, por exemplo, as dificuldades em realizar os processos eletivos, de se comunicar ao público visando à participação de todos e as incompatibilidades de horários de disponibilidade da comunidade e de atendimento da equipe.
.

Como grandes conquistas do programa, foram citados o crescimento expressivo da participação das famílias de alunos durante as reuniões do conselho, o processo de estreitamento da comunicação, gerando ações mais articuladas e consistentes e, como se esperava, a resolução dos conflitos mediados pela equipe.
.
Para saber mais acesse:

www.aabbcomunidade.org.br
.

A diretora Dinara Margot Boeni da Escola General João Borges Fortes, encerrou o painel apresentando e contextualizando o Programa Mais Educação do governo Federal, que está em implementação em escolas municipais e estaduais do município. Este programa aumenta a oferta educativa nas escolas públicas por meio de atividades optativas ligadas ás temáticas: acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica.
.
Essa oferta resulta em grandes benefícios à comunidade em situação de vulnerabilidade de cada município participante, uma vez que os alunos podem receber aulas de reforço de uma forma mais lúdica e estimulante, exercitar-se e receber uma alimentação balanceada.
.
As atividades propostas pelo programa ocorrem sempre no contra turno do estudante, cuja participação é de caráter obrigatório no caso de sua família esta recebendo o auxílio Bolsa Família.
.
A área de atuação do programa foi demarcada inicialmente para atender, em caráter prioritário, as escolas que apresentam baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), situadas em capitais e regiões metropolitanas.
.
Para saber mais acesse o sítio.
.

O debate com os participantes seguiu as exposições. Uma das questões levantadas para o ObservaSinos foi sobre o impacto que esta exposição de dados tem alcançado junto aos gestores municipais. Em resposta foram pontualizados alguns exemplos de retorno dado pelos gestores, tanto em relação aos espaços de formação proporcionados pelo ObservaSinos, como pelas análises publicadas. Já temos também retorno de alguns conselhos municipais de direitos e políticas sociais, que solicitam informações sobre a realidade para subsidiar seu trabalho de deliberação das políticas. Por outro lado, é importante considerar que ainda é um desafio a aproximação mais direta com a sociedade civil. Algumas organizações têm manifestado seu interesse de aproximação, mas ainda bastante distante é a relação do Observa com a população leopoldense.