Arquivos da categoria ‘Indígenas’

O Movimento Xingu Vivo para Sempre divulgou o segundo vídeo que pretende desmentir as informações divulgadas pela empresa Norte Energia, responsável pela construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

A nota é do site Amazonia.org.br, 11-05-2011.

Para tentar combater as criticas ao projeto, o consórcio decidiu investir em publicidade e está divulgado vídeos de 15 minutos em treze aeroportos brasileiros. Em um dos vídeos, o consórcio alega que a usina hidrelétrica vai impulsionar desenvolvimento e que a energia gerada pela usina abastecerá “mais de 18 milhões de casas”.

Segundo o vídeo do movimento, ao contrário do que o consórcio diz, “a hidrelétrica está sendo construída para produzir energia para a mineração que acabará com o que sobrou da floresta Amazônica”.

O primeiro vídeo dizia que nenhuma terra indígena será alagada com a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte. Na versão realizada pelo Movimento, eles afirmam que “o que a Norte Energia não quer que você saiba é que se for construída a hidrelétrica vai secar 100 km do rio, acabando com a vida do Xingu. Inclusive dos índios”.

Assista ao vídeo do Movimento Xingu Vivo:

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/SfGFJ2LW1dA" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

Assista ao vídeo do consórcio:

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/Lg12xyyv6tQ" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

O Movimento Xingu Vivo para Sempre divulgou na segunda-feira (2) um vídeo desmentindo as informações da empresa Norte Energia, responsável pela construção da usina hidrelétrica de Belo Monte. A peça publicitária da empresa, de 15 segundo, está sendo divulgada em treze aeroportos brasileiros e afirma que “nenhuma terra indígena será alagada” com a construção da usina.

A nota é do site Amazonia.org.br, 04-05-2011.

Na versão realizada pelo Movimento, eles afirmam que “o que a Norte Energia não quer que você saiba é que se for construída a hidrelétrica vai secar 100 km do rio, acabando com a vida do Xingu. Inclusive dos índios”.

O Movimento também ressaltou, em seu site, a falta de infraestrutura no local, que deveria ser resolvida com o cumprimento das condicionantes impostas pelo Ibama. “Quem for a Altamira, no Pará, verá que não há hospitais, saneamento, segurança, nada. Quem espera luz no fim dos canais de Belo Monte, esperará no escuro, porque luz é que os 4 mil mw de energia média da usina não vão gerar”.

Assista ao vídeo do Movimento Xingu Vivo Para Sempre:

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/_q7c6POeQV8" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

Compare com o vídeo produzido pelo consórcio:

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/n5pJqw2jFcs" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

Especialista no estudo antropológico das religiões populares no Brasil, Paula Montero estará na Unisinos no dia 27 de outubro, quando participará do XII Simpósio Internacional IHU – A experiência missioneira: território, cultura e identidade. Professora titular do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisadora no Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), Paula Montero irá expor a partir das 9 horas sobre “Missionários, índios e mediação cultural”.

Paula Montero possui graduação em Ciências Sociais na Université de Paris VII, em Psicologia na Université Réné Descartes-Sorbonne, mestrado em Antropologia na Université de Paris VIII, doutorado em Antropologia, Livre-Docência e Titulação na Universidade de São Paulo. Dentre suas publicações estão “Da doença à Desordem: a cura mágica na Umbanda e Deus na Aldeia: índios, missionários e mediação cultural”, “Religião, pluralismo e esfera pública no Brasil”, “O local e o global nas relações entre missionários e índios no Brasil” e “Igreja Católica, Identidades e Pós-Colonialismo”.

O XII Simpósio Internacional IHU – A experiência missioneira: território, cultura e identidade será realizado entre os dias 25 e 28 de outubro, no campus da Unisinos, em São Leopoldo. Participe.

Na última segunda-feira, 18, o irmão jesuíta José María Korta declarou-se em greve de fome. Aos 80 anos de idade, Korta decidiu apoiar a causa do cacique yukpa Sabino Romero, que está há mais de um ano preso pelas leis do Estado, embora a Constituição declare que os índios devem ser julgados pelas leis indígenas.

Veja abaixo mais alguns depoimentos sobre a decisão do Ir. Korta:

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/4jgpOcut8sk" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/Kj1r6qyohDs" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/mOgkrMnIcFc" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/Tc4r6UrN_rU" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/ixqHpLJUGAE" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

Na próxima segunda-feira, 25 de outubro, das 18h às 20h, no Anfiteatro Pe. Werner, na Unisinos, será apresentado o espetáculo “Missa Terra Sem Males”, que irá abrir o XII Simpósio Internacional IHU: A Experiência Missioneira: Território, Cultura e Identidade.

Em um dos momentos do espetáculo – escrito por Dom Pedro Casaldáliga e pelo poeta tocantinense Pedro Tierra, e musicado pelo argentino Martín Coplas –, encena-se e celebra-se uma homenagem aos mártires latino-americanos, chamada “Rito dos Mártires”.

Nesse rito, são lembrados todos os patriarcas, profetas e mártires da causa indígena em solo latino-americano e dos povos oprimidos destas terras. Eis os nomes rememorados:

  • Montezuma
  • Atahualpa
  • Tupác Amarú
  • Sepé Tiarajú
  • Turíbio de Mongrovejo
  • Margarida Alves
  • Chico Mendes
  • Rosa de Lima
  • Bartolomeu de las Casas
  • José de Anchieta
  • Roque, João e Afonso
  • Adelaide Molinari
  • Roseli Nunes
  • João Bosco Burnier
  • Oscar Romero
  • Irmã Dorothy Stang
  • Ignacio Ellacuría e Companheiros e Companheiras
  • Galdino Jesus do Santos

As Notícias do Dia desta terça-feira, 19-10-2010, publicaram uma breve biografia desses patriarcas, profetas e mártires. Clique aqui e confira!

(Por Moisés Sbardelotto)

Para ler mais: