Arquivos da categoria ‘IHU’

A Agência de Informação Frei Tito para a América Latina e Caribe (Adital) vai dar um passo importante para deslanchar ainda mais sua informação e garantir sua continuidade.

A ADITAL nasceu em fevereiro de 2000 com a finalidade de divulgar o protagonismo dos novos atores sociais que estão transformando a América Latina e o Caribe.

A informação foi publicada por Adital, 30-03-2016.

Agora, em 2016, para vocês leitoras/es, temos uma novidade de peso a comunicar:

Acreditamos ter encontrado um caminho para garantir a continuidade de Adital e para dar, ao mesmo tempo, um salto de qualidade em nosso trabalho de comunicação.

A solução que encontramos foi oferecer a continuidade desta tarefa ao Instituto Humanitas UnisinosIHU, vinculado à Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, em São Leopoldo, Estado do Rio Grande do Sul.

Imagem: Adital

Depois de um bom tempo de discussão e consultas, vimos que não há mais como garantir a sustentabilidade da Adital dentro do atual esquema. De fato, está ficando sempre mais difícil a aprovação de projetos, e as entidades, depois de um tempo, solicitam que se procure um jeito para a autossustentação. No fim de 2016, inclusive, mais quatro projetos serão encerrados definitivamente e a tentativa de autossustentação que levamos ao longo de alguns anos só garante 10% da necessidade.

Depois de quase dois anos de reflexão, escolhemos o IHU para dar continuidade à nossa informação. Por que?

– O Instituto Humanitas UnisinosIHU atua como um propagador de notícias. Os que conhecem seu site na Internet percebem como sua filosofia de informação está bem próxima da Adital. Em várias oportunidades, inclusive, publicamos entrevistas, que eles realizam. A base comum de nossa informação é valorizar os setores sociais comprometidos com a construção de democracia e cidadania.

– A Adital vai repassar seu farto banco de dados, formado por mais de 90.000 matérias em espanhol e português, que são objeto constante de pesquisas de leitores/as e profissionais da comunicação. Também vai repassar toda a sua mala direta, com cerca de 100.000 endereços eletrônicos cadastrados.

E saibam os leitores que o IHU está renovando, nos próximos meses, por completo, seu site, que responderá mais ao esquema de um portal, e deve alcançar antigos e novos leitores através das tecnologias mais modernas, para garantir uma penetração mais capilar da informação. Além do envio dos e-mails e da presença nas redes sociais da Internet, como Facebook e Twitter, a nova plataforma será responsiva, o que permitirá o acesso adequado e o compartilhamento de conteúdo via dispositivos móveis, como tablets e smartphones.

O site atual de Adital e o envio do newsletters continuarão até que este novo site esteja no ar. Mas, já no começo de abril de 2016, o IHU assumirá por completo o trabalho de produção das matérias da Adital. A previsão é de que até setembro, portanto, será continuada a publicação simultânea dos dois sites, cada um identificando também a logomarca um do outro [IHU e Adital] para que o leitor perceba que há colaboração e continuidade.

Isto se deve ao fato de que Adital já tinha se comprometido a realizar, nos próximos sete meses, em Fortaleza [Estado do Ceará], uma reportagem peso sobre o trabalho desenvolvido por entidades na recuperação e reinserção social de jovens que querem sair do mundo da prostituição, da droga e da marginalidade. As etapas desta reportagem serão publicadas, semanalmente, em ambos os sites.

Amigas/os leitoras/es,

Vamos continuar nosso compromisso com o tipo de informação que publicamos e pedimos que cada um de vocês continue divulgando IHU/Adital entre amigas e amigos.

Atenciosamente,

Diretoria da Adital

“Precisamos ser muito mais eficientes na produção e no consumo e entender que nosso planeta tem recursos finitos. Um mudança individual no comportamento é fundamental para reduzir os impactos das mudanças climáticas”. Este foi o pedido de Carlos Rittl, do Observatório do Clima, durante sua participação na 13ª Páscoa IHU. O Cuidado da nossa Casa Comum, na quinta-feira, 17 de março.

Pensando nos desafios para combater as mudanças climáticas e na relevância do Acordo Climático firmado na 21ª Conferência das Partes (COP-21), realizada em dezembro de 2015, em Paris, Carlos Rittl ministrou duas conferências no Instituto Humanitas UnisinosIHU. Na oportunidade o palestrante trabalhou temas como mudanças climáticas, impactos do aquecimento global no Brasil, extremos climáticos, COP-21, planejamento energético e a Encíclica Laudato Si’ do Papa Francisco.

Brasil e o compromisso com o meio ambiente

No debate sobre Mudanças climáticas no Brasil e seus impactos sociais e econômicos, o biólogo falou sobre a participação do Brasil nas emissões de gases de efeito estufa, que é um dos maiores emissores mundiais. Refletiu, também, sobre a importância das metas estipuladas na COP-21 e os desafios a serem enfrentados. “O Brasil se comprometeu em alcançar níveis de desmatamento zero, restaurar 15 milhões de hectares nas pastagens, fazer a integração de lavoura-pecuária-floresta em 5 milhões de hectares e garantir 45% da matriz energética em fontes renováveis”, pontua.

Rittl também abordou a importância da Carta Encíclica Laudato Si’ – Sobre o Cuidado da Casa Comum, do Papa Francisco. “A Laudato Si’ foi de extrema relevância, pois trouxe um engajamento mais amplo sobre a agenda climática. São atitudes assim que nos dão um fio de esperança”, destaca.

COP-21

O secretário do Observatório do Clima, em sua segunda conferência, destacou o Acordo de Paris. Enfatizou, também, que a diferença do documento de Paris em relação às COPs anteriores é que haverá uma revisão periódica dos compromissos assumidos e se eles estão sendo cumpridos. No entanto, frisou que um dos aspectos que deixou a desejar foi a questão da justiça climática, pois “saímos do Acordo de Paris sem saber quem vai pagar a conta”.

Planejamento energético e Belo Monte

Rittl alertou sobre a necessidade de um planejamento energético brasileiro, principalmente em relação às usinas hidrelétricas. “O clima daqui a 30 anos não será o mesmo.  É preciso pensar na adaptação às mudanças climáticas. Se eu planejo construir hidrelétricas, tenho que pensar se elas não serão a fio d’água, pensar a vazão dos rios é importante no planejamento energético”, informa. Destacou, ainda, que a Usina de Belo Monte “não se justifica, pois está promovendo impactos sociais e ambientais imensos. E está evidente sua ligação aos interesses políticos e econômicos”.

Foto: Fernanda Forner / IHU

Desenvolvimento sustentável X Economia capitalista

Questionado sobre se existe a possibilidade de um desenvolvimento sustentável em uma economia capitalista, Carlos Rittl deixou claro que precisamos partir para um outro modelo de desenvolvimento, onde “economia e ecologia dialoguem para o gerenciamento da nossa Casa Comum”.

O biólogo também frisou a necessidade da mudança individual no comportamento de cada um e declarou que “temos que acabar com a cultura da abundância e começar a discutir que os recursos naturais são finitos. Precisamos ser muito mais eficientes na produção e no consumo”.

Quem é Carlos Rittl

Mestre e doutor em Biologia Tropical e Recursos Naturais. Foi coordenador do Greenpeace Brasil e do Observatório do Clima, rede brasileira formada por ONGs e movimentos sociais, onde atualmente é Secretário Executivo.

O Ciclo de atividades. O cuidado de nossa Casa Comum segue até 03 de maio de 2016.  A programação completa pode ser vista aqui.

Confira a cobertura completa sobre as atividades aqui.

Por Cristina Guerini e Fernanda Forner

Para ler mais:

Informamos que durante a Semana Santa não será enviada a Newsletter.

Ela voltará a ser enviada no dia 28 de março.

Agradecendo a compreensão, a todas e todos desejamos uma Feliz Páscoa!

Instituto Humanitas Unisinos -IHU

Sociedade Sustentável é o tema do Ciclo de Estudos em Educação a Distância (EAD) – Edição 2016, ministrado pelo Prof. MS Gilberto Faggion. O curso busca prospectar alternativas sustentáveis de organização social e econômica, capazes de contribuir à sustentabilidade do Planeta e da sociedade.

De acordo com Faggion, o Ciclo tem a preocupação com a sociedade civilizacional e com um mundo sustentável. Por isso, o curso será um espaço para “pensar ‘eu no mundo’ e refletir sobre ele. De que modo posso construir um mundo sustentável? Temos que pensar desde a nossa casa, município, cidade e assim por diante”, propõe o professor.

Durante o Ciclo, será abordada a encíclica papal sobre meio ambiente Laudato Si’, escrita pelo Papa Francisco, que, além de tratar sobre questões ambientais e o cuidado da casa comum, cita assuntos como planejamento urbano, agroecologia, entre outros.

Módulos

A edição de 2016, assim como nas edições anteriores, será dividida em módulos. Entre os módulos, haverá webconferências, cuja primeira será no dia 21 de março, às 20h, data de abertura do Ciclo. Nesta primeira webconferência, Gilberto Faggion apresentará o curso e as atividades que serão estudadas.

Foto: Rede Fonte

Confira os módulos que compõem o Ciclo Sustentável.

Módulo I – O Estado atual da crise civilizacional: onde estamos

Nesta primeira etapa será apresentado o “problema civilizacional” e as crises que o mundo vive atualmente (econômica, ambiental, social).

A primeira parte do ciclo irá refletir sobre a crise econômica mundial, em que cada vez mais se tem como foco a eficiência e o lucro, porém não se tem contribuído de modo sustentável para o planeta. Ainda, os participantes debaterão sobre as alterações climáticas (elevação do nível dos oceanos, perda da biodiversidade etc.) e a degradação social que a população vive nos dias de hoje.

Módulo II – Por um novo paradigma civilizacional

Após a apresentação da crise civilizacional durante o primeiro módulo, os participantes começarão a pensar em possíveis soluções para esses problemas a partir de autores como Serge Latouche, Gilberto Dupas e Edgar Morin.

O segundo módulo inicia no dia 28 de março.

Módulo III – Pensar global e agir local

Qual é a sua pegada ecológica? Nesta terceira parte do Ciclo de Estudos, os participantes irão calcular a sua pegada ecológica (que é o impacto causado pelas atividades humanas no meio ambiente; quanto maior a pegada ecológica, mais danos causa ao meio ambiente). A partir disso, iniciarão os debates do módulo III – “Pensar global e agir local”, em que serão discutidas questões sobre o que você pode fazer para ajudar o local onde vive, assim como serão trazidas à tona as reflexões da filosofia indígena do “Bem-Viver”.

O módulo III inicia no dia 19 de abril.

Módulo IV – Por uma ecologia da ação

A partir do dia 26 de abril, o módulo IV apresentará a Teoria da Complexidade e a Ideia de ação: tudo que faço, passa a ser do mundo. Segundo Faggion, isso reflete que as atitudes e ações, por melhores que sejam, às vezes, podem prejudicar outras pessoas e o planeta.

Módulo V – Reflexões a partir da encíclica Laudato Si’

No último módulo, que inicia no dia 03 de maio, o foco será a Encíclica do Papa Francisco “Laudato Si’ – O Cuidado da comum”, que foi o primeiro documento papal sobre meio ambiente.

O Cuidado da Casa Comum e o que a humanidade, nesse momento, tem feito para preservar o planeta e qual herança será deixada para as próximas gerações será o eixo central desta etapa. Alertando para os problemas relacionados ao futuro do planeta, o professor Faggion destaca que “O planeta é a nossa única casa. Então, todos os impactos e crises que são debatidos no módulo I estão trazendo prejuízos para nós, e não para o planeta. A Terra irá sobreviver, nós não”.

Foto: Gilberto Faggion reflete sobre como podemos construir um mundo sustentável

O Ciclo de Estudos em EAD se encerra no dia 09 de maio.

Acesse aqui para saber mais informações sobre o curso.

Matheus Freitas

Leia mais

A partir desta semana o Instituto Humanitas Unisinos – IHU passa a publicar algumas notas, reportagens e artigos em espanhol, além das tradicionais Entrevista do Dia e Notícias do Dia, em português. O trabalho faz parte do processo de transição e incorporação do conteúdo enviado e publicado pela Agência de Notícias Adital ao Instituto Humanitas Unisinos – IHU. No momento, os textos em espanhol podem ser acessados na página Noticias en español.

Versión en español

A lo largo de esta semana, el Instituto Humanitas Unisinos – IHU lo hará la publicación de algunas notas, reportages y artículos, allá de las tradicionales Entrevista del Día y Noticias del Día, en portugués. El trabajo hace parte del proceso de transición e incorporación del contenido enviado e publicado por la Agência de Noticias Adital a lo Instituto Humanitas Unisinos – IHU. Los textos en español pueden ser leídos en la página Noticias en Español.