Arquivos da categoria ‘Entrevistas do dia’

“Muita coisa mudou, infelizmente para pior”, afirma D. Erwin Kräutler, ao avaliar a situação de Belo Monte em entrevista à IHU On-Line. A publicação foi a mais acessada entre os dias 30 de julho a 05 de agosto.
.
Na entrevista, D. Erwin analisa toda a situação envolta no projeto de construção da usina hidrelétrica, no Rio Xingu, no estado brasileiro do Pará. “As primeiras máquinas já chegaram a Altamira, instalando o caos imobiliário. O preço dos imóveis sobe em até 1.000%. Aluguéis de casas passam de 500 para 1.500 reais. Pior é a sorte de pobres que vivem em barraco alugado e pagavam em torno de 100 reais por mês. Agora são condenados a pagar 500 reais”, conta.
.
Para D. Erwin, a questão crucial situa-se nas consequências concretas do empreendimento para o Brasil e o planeta Terra. “Será que o Brasil ganha realmente com a vitória do governo e a derrota dos que se opõem a Belo Monte? Governo entra e sai. A faixa presidencial é passada de uma pessoa a outra, homem ou mulher. Mas o Brasil continua existindo até que soe a última trombeta (cf. 1Cor 15,52). Que Brasil teremos daqui para frente? Que Amazônia teremos? Que mundo teremos?”, finaliza.
.
Quer saber mais sobre Belo Monte? Confira outras entrevistas sobre o assunto:

.

Entre os dias 23 e 29 de julho a nossa equipe de Jornalismo produziu inúmeras entrevistas, publicadas diariamente em nosso site. A produção mais acessada foi realizada com o filósofo Castor Ruiz, intitulada “O campo não foi inventado pelos nazistas. Eles só levaram a suas últimas conseqüências a política da exceção.” Segundo Ruiz, a obra do filósofo italiano Giorgio Agamben (foto) analisa várias figuras políticas clássicas, em especial a do conceito de estado de exceção e suas implicações biopolíticas.
.
“Os porões de todas as ditaduras, incluída a do Brasil, são os novos campos em que a vontade dos torturadores se torna soberana e a exceção é a norma que se aplica sobre os detentos”, afirma. De 15 de agosto a 24 de outubro Castor Ruiz ministrará o curso “Giorgio Agamben: O Homo Sacer I, II, III. A exceção jurídica e o governo da vida humana”, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Unisinos em parceria com o Instituto Humanitas Unisinos – IHU.
.

Entre os dias 23 e 29 de julho a nossa equipe de Jornalismo produziu inúmeras entrevistas, publicadas diariamente em nosso site. A produção mais acessada foi realizada com o filósofo Castor Ruiz, intitulada “O campo não foi inventado pelos nazistas. Eles só levaram a suas últimas conseqüências a política da exceção.” Segundo Ruiz, a obra do filósofo italiano Giorgio Agamben (foto) analisa várias figuras políticas clássicas, em especial a do conceito de estado de exceção e suas implicações biopolíticas.
.
“Os porões de todas as ditaduras, incluída a do Brasil, são os novos campos em que a vontade dos torturadores se torna soberana e a exceção é a norma que se aplica sobre os detentos”, afirma. De 15 de agosto a 24 de outubro Castor Ruiz ministrará o curso “Giorgio Agamben: O Homo Sacer I, II, III. A exceção jurídica e o governo da vida humana”, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Unisinos em parceria com o Instituto Humanitas Unisinos – IHU.
.

Assassinatos sem fundamento, um grande número de desaparecidos e uma infinidade de pessoas agredidas sem motivo. Todos esses abusos têm sido praticados pela polícia de Goiás. Dom Tomás Balduíno (foto à esquerda) e Padre Geraldo Labarrère Nascimento (foto abaixo) concederam entrevista à IHU On-Line para falar a respeito da situação.
.
A entrevista “Militares ameaçam religiosos em Goiás” foi a produção mais acessada no site do Instituto Humanitas Unisinos – IHU entre os dias 24 e 29 de junho.  “Há um grupo chamado Ronda Tática Militar – Rotam que usa carros pretos e são treinados para exterminar”, alerta Balduíno.
.
No mesmo dia, publicamos neste blog um documento assinado por diversas entidades que manifestaram repúdio diante da violência institucional praticada em Goiás contra os Direitos Humanos. Confira.
.
Entre os dias 25 e 30 de junho, o IHU publicou outras entrevistas diária. São elas: “Da incipiência à negligência. A redução dos gases de efeito estufa pelas empresas”, entrevista especial com Eduardo Baltar; “Quanto vale um retuite?”, com Gabriela Zago; “Banco Mundial: o principal financiador da crise climática global”, com Sebastian Valdomir; e  “O Código Florestal cria o caminho ‘legal’ para concluir a grilagem da terra”, com Mauricio Torres.

A relação entre uma nova classe média e a religião é o debate proposto na entrevista especial realizada com Jorge Cláudio Ribeiro. A entrevista publicada em nosso site foi a mais acessada entre os dias 18 a 24. Segundo o professor da PUC-SP, esta nova classe média manterá uma referência religiosa, “mas se tornarão pessoas sem religião, entrando naquele rol dos que são crentes, mas não dentro do catequicismo religioso que aprenderam”. 

.
A entrevista com Jorge Ribeiro também faz parte da edição 366 da Revista IHU On-Line (imagem) intitulada: A ”nova classe média” e as perspectivas de um novo cenário religioso brasileiro.
.

Na semana passada a nossa equipe de Jornalismo também produziu variadas entrevistas. São elas: Na terra da mineração, uma comunidade pobre ameaçada de despejo, com José Geraldo de Melo; Plano de Sustentabilidade Financeira no Rio Grande do Sul em debate, com João Ricardo dos Santos Costas; Os agroquímicos são um ‘mal necessário’?, com Josino Costa Moreira; Por um Rio Grande do Sul sem miséria, com Clitia Helena Backx Martins e Isabel Noemia Rückert; e A mancha negra do açúcar, entrevista com Fernando Carvalho.